Menu fechado

A Engenharia de Sistemas é uma área multidisciplinar que otimiza seus esforços para transformar os requisitos dos clientes em soluções. Um sistema é definido como um conjunto de elementos para atingir um objetivo. Esses elementos incluem hardware, software, firmware, recursos humanos, informações, técnicas, serviços e outros elementos de suporte. Dentro desse conceito, a Equatorial trabalha nas seguintes funções:

  • Identificação da necessidade do usuário;
  • Engenharia de requisitos, que consiste na análise, validação, alocação e manutenção dos requisitos do projeto;
  • Design e configuração da arquitetura com sistema funcional completo, incluindo características físicas e de software;
  • Verificação de entregas conforme requisitos;
  • Integração das várias disciplinas e recursos humanos de engenharia;
  • Determinação da validação de um requisito através de similaridade, análise, inspeção e teste.

A Análise de Confiabilidade é uma prática de engenharia voltada para tomada de decisão. Através da avaliação da chance de falhas para várias abordagens de projeto e de como mitigá-las, é possível indicar maneiras de prevenir, tolerar, reduzir o risco e até como eliminá-las completamente. Usada corretamente, a disciplina permite a obtenção de um produto melhor em termos de confiabilidade, disponibilidade, manutenibilidade e segurança (RAMS).

A Equatorial considera a confiabilidade uma das disciplinas mais importantes nas etapas preliminar e detalhada do desenvolvimento de um produto e utiliza uma ferramenta CAE para auxílio na análise. Seu conhecimento, adquirido no fornecimento de equipamentos para os programas de satélite CBERS e AMAZONIA, permite que a empresa possa aplicar efetivamente um programa de confiabilidade para o desenvolvimento de projetos de alta complexidade. O escopo da análise depende das necessidades do cliente, normalmente em conformidade com a norma MIL-HDBK-217, e o foco depende da etapa do desenvolvimento do produto.

   

Dentro deste conceito a Equatorial elabora relatórios dos três elementos principais:

Previsão de confiabilidade

Esta análise avalia a probabilidade de falha de um projeto a partir de modelos padrão de falhas das partes que o compõem, baseado na física da falha, testes e experiências de campo. A Equatorial tem experiência em dois métodos para esta análise: o geral chamado de “Parts Count”, baseado na quantidade de partes e condições ambientais a que elas serão submetidas, e o detalhado chamado de “Part Stress”, que leva em consideração todas as condições de operação previstas para cada parte.

Concluída a análise, um relatório é elaborado contendo: a lista de todas as partes do sistema com resumo descritivo, números únicos de referência, suas respectivas funções e os valores físicos de operação que influenciam na falha da parte.

Diagrama de blocos de confiabilidade

Esta ferramenta de modelamento, usada em conjunto com a previsão de confiabilidade, permite estimar a confiabilidade do sistema todo, levando em consideração as tolerâncias à falha introduzidas através de redundância. O relatório da Equatorial apresenta a arquitetura e a interação entre as funções que compõem o sistema e as taxas de falhas calculadas para cada função.

Modos de falha, efeitos e análise de criticidade (FMECA)

O objetivo geral da análise de FMECA é identificar as possíveis falhas que possam afetar todos os componentes de um equipamento e determinar seu impacto no desempenho da função especificada pelo cliente.

A análise de falhas e criticidade engloba todos os componentes do hardware eletrônico desenvolvido/produzido pela Equatorial. Os modos de falha são analisados desde o mais baixo nível da estrutura do hardware, até o nível de sistema, para todas as fases operacionais. A análise dos modos de falha, efeitos e de criticidade permite quantificar e qualificar a probabilidade de falhas críticas e a existência de um ponto de falha singular e então avaliar a criticidade do projeto.

O relatório de FMECA elaborado pela Equatorial contém todas as funções presentes em um sistema com seu respectivo identificador único, todos os possíveis modos de falha para a função, três níveis de efeito para cada modo de falha, a severidade do modo de falha, o cálculo da criticidade de todas as funções e métodos de detecção e prevenção de falhas.