Menu fechado

É uma câmera que utiliza a técnica de imageamento hiperspectral para detectar e coletar informações numa faixa ampla do espectro eletromagnético. Imageadores hiperspectrais permitem um preciso escaneamento de bandas espectrais estreitas contíguas, extraindo muito mais informação que o permitido em imageadores multiespectrais convencionais.

Em 2007, a Equatorial Sistemas e Opto Eletrônica participaram dos estudos de missão do Imageador Avançado para a Amazônia (I2A), realizados com apoio da FINEP. Essa era uma missão potencial para uma terceira geração de três objetivas do  imageador WFI, que tinha os objetivos de:

  • Identificar o avanço de redes de estradas e pistas não pavimentadas no seio da floresta;
  • Fornecer informações úteis para a avaliação do uso do solo por meio de análise de valores da refletância, representados por índices usados nas técnicas de mapeamento de imagens;
  • Permitir a cobertura das principais faixas de florestas tropicais do planeta.

O HiRIS nasceu durante o mesmo estudo, como tendência tecnológica alternativa aos imageadores tradicionais. Com o apoio da FINEP em 2010, foi possível fabricar um protótipo funcional reduzido para demonstração.

Diferentes objetos produzem uma assinatura espectral única e imageadores hiper-espectrais coletam essas informações que são posteriormente empilhadas para formar uma matriz chamada de hiper-cubo, que permite a análise dos dados.

As informações que podem ser obtidas por este tipo de escaneamento são:

  • Identificação de materiais
  • Segurança Interna
  • Meio Ambiente (pântanos, cobertura, hidrologia, etc)
  • Saúde (segurança alimentar, diagnósticos médicos, etc)
  • Estudos Costeiros (batimetria, turbidez da água, etc)
  • Análise de Trafegabilidade
  • Detecção de Minas Terrestres
  • Análise de Pluma (propelente)
  • Detecção de Camuflagem
  • Detecção Biológica e Química
  • Agricultura de Precisão
  • Mitigação de Desástres
  • Planejamento Urbano
  • Aplicação da Lei
Bandas espectrais >200 na faixa de 360 a 1060 nm
Resolução espectral 1,4 nm
Resolução angular 366 μm
Largura da imagem 480 pixels
Taxa de aquisição 50, 95, 177 fps
Capacidade de armazenamento 120 GB
Temperatura de operação -10°C, +40°C
Peso Unidade de imagem: 7kg

Unidade de aquisição: 3,5 kg

Unidade de controle: 1,6 kg

Consumo 45 W
Voltagem 24 VDC

 

Para análise das imagens existem vários softwares deste tipo no mercado. O INPE disponibiliza um software para análise hiperespectral, o SPRING (Sistema de Processamento de Informações Georreferenciadas) em versão gratuita. A Equatorial Sistemas utiliza o software Hypercube para executar a análise espectral das imagens adquiridas com o HiRIS. Este software, também gratuito, permite gerar um hiper-cubo de formato padrão (hdr + wvl) a partir das imagens TIFF.

Hypercube é um aplicativo desenvolvido pelo Army Geospatial Center (AGC) do Exército dos EUA especificamente dirigido para a análise e visualização de imagens hiper-espectrais. Isto include a visualização dinâmica do cubo de imagens e a classificação espectral usando as imagens em conjunto com bibliotecas espectrais. Possui também funcionalidades de filtragem, deformação, mosaico, transcodificação de formatos, calibração, mistura de imagens, projeção fotogramétrica, compilação de pares estereoscópicos e permite executar operações aritméticas sobre as imagens e os dados.