Menu fechado

O sistema de Detecção de Lançamento de Míssil é um sistema passivo, indetectável ao inimigo, projetado para detectar, rastrear e alertar sobre possíveis ameaças com taxas de falso positivo muito baixas e a partir de grandes distâncias.

{youtube}Uiza2a9xpQw{/youtube}

O coração do MLD é constituído por sensores ópticos de alta resolução na região espectral ultravioleta (UV), assim é possível detectar a radiação emitida pela combustão do propelente sólido de um míssil.

Na ótica concebida em 2010, a pluma da combustão aparece como uma área luminosa em um fundo escuro homogêneo. Através de técnicas de processamento de imagem é possível caracterizá-la usando diferentes parâmetros como intensidade, tamanho, forma, etc. Estas informações são então comparadas com aquelas do comportamento esperado para um míssil, tornando possível avaliar ameaças à aeronave.

Um Sistema de Auto-Proteção (SPS) é um equipamento complexo, formado por vários sensores MLD, que tem a função de detectar o lançamento de um míssil, um feixe laser ou pulsos de radar e alertar a tripulação sobre a ameaça,  acionando contra-medidas de proteção.

Os estudos realizados pela Equatorial, com financiamento da FINEP, tiveram os seguintes objetivos:

  • Identificação e caracterização de um Sistema de Detecção de Lançamento de Misseis;
  • Expressão de suas características em termos de necessidades, desempenho, confiabilidade e manutenibilidade;
  • Levantamento dos condicionantes físicos, operacionais e ambientais para o sistema;
  • Planejamento preliminar de uma missão.

Ainda neste projeto, a Equatorial especificou as partes do sistema ótico, priorizando o uso de peças de prateleira, para o desenvolvimento de um protótipo e seu software de controle para demonstração. O software desenvolvido é dividido em duas partes:

  • Biblioteca MLD: biblioteca com funções, desenvolvidas em ANSI C, usadas pela cabeça ótica que poderão ser incorporadas posteriormente em qualquer plataforma, inclusive embarcadas com RTOS;
  • Interface Gráfica: visualizador usado para configurar, visualizar e validar as ações tomadas pela biblioteca MLD.

O protótipo funcional reduzido demonstrou possuir potencial para futuro investimento no desenvolvimento da tecnologia.